6 tópicos que você precisa saber sobre sistema de embreagem

SISTEMA DE EMBREAGEM DA MOTOCICLETA

Bem conhecida dos mecânicos, a embreagem é o dispositivo que faz a conexão do motor com a caixa de marchas da motocicleta. Está instalada no eixo primário do câmbio, embora haja motocicletas com a embreagem montada na ponta do virabrequim.

Na maioria das motocicletas a embreagem é robusta (normalmente com vida longa), mas os mecânicos constantemente se deparam com casos de embreagens problemáticas. Algumas patinam mesmo com baixa quilometragem ou apresentam dificuldades no engate das marchas. 
O modelo de embreagem desta motocicleta é composto de: discos revestidos de cortiça (mais escuros), campana de embreagem, cubo, platô, separadores e molas.

FUNCIONAMENTO

A embreagem é um conjunto multidisco em banho de óleo que combina discos revestidos de cortiça (mais escuros) e também discos de papel (mais claros). O funcionamento básico é: durante a aceleração a potência do motor é transmitida ao câmbio através da embreagem e em seguida a força é transmitida ao pinhão do virabrequim, carcaça externa da embreagem, discos, separadores, cubo da embreagem e eixo primário do câmbio. Assim a potência do motor é transmitida ao câmbio e na sequência chega à roda traseira. A embreagem funciona por meio da fricção (atrito) do conjunto: discos, separadores, cubo e platô de pressão. A unidade do conjunto é assegurada pela pressão das molas. A quantidade de discos varia conforme o modelo e a cilindrada da motocicleta.

Para o bom funcionamento, a embreagem é banhada em óleo de motor (que é o mesmo lubrificante que circula pelo cilindro, pistão, anéis, comando de válvulas, biela e câmbio). Isto significa que o lubrificante utilizado tem que ser o recomendado pelo fabricante da motocicleta, específico para proteger sem reduzir o atrito na embreagem. Os manuais de serviço não recomendam aditivos complementares ao lubrificante.

ACIONAMENTO EMBREAGEM

Nas motocicletas comuns o acionamento da embreagem pode ser mecânico, por meio de um cabo de aço com um ou dois dispositivos de regulagem de folga da alavanca (manete). Existem sistemas nos quais o acionamento é hidráulico. O desacoplamento do conjunto é dado quando o manete é totalmente acionado. Nesta condição o motor funciona, mas a potência não é transmitida ao câmbio.

Nas motocicletas comuns, a separação dos discos é dada por uma haste (came) localizada no lado esquerdo do motor. Esta promove um impulso de uma vareta que desliza dentro do eixo primário do câmbio e faz o desacoplamento do conjunto da embreagem de dentro para fora. Também há um segundo caso no qual a alavanca impulsora da embreagem fica instalada na parte interna da tampa direita do motor. Nesse caso, a separação dos discos é feita de fora para dentro do motor.

FOLGA NA ALAVANCA

A manutenção é básica e simples, na maioria das vezes fica por conta do usuário da moto. O ajuste deve ser o padrão do fabricante, necessariamente não é proporcional ao tamanho da mão do condutor. O excesso de folga dificulta os engates e provoca trancos e danos no conjunto. Já a folga abaixo do padrão provoca desgaste das peças. Os dois extremos são prejudiciais.

DIAGNÓSTICOS E DEFEITOS DO SISTEMA DE EMBREAGEM:


Existem inúmeros sintomas que o condutor pode perceber durante a utilização da motocicleta. Em alguns casos a substituição de peças é necessária, e em outros casos apenas de algum ajuste é requerido. Abaixo seguem alguns procedimentos para identificar as possíveis causas de defeitos no sistema de embreagem. É altamente recomendável que o mecânico siga as instruções do fabricante da motocicleta constantes no manual de serviço.

  1. Alavanca da embreagem muito dura: dificuldade de acionamento da alavanca da embreagem pesada.

CAUSAS PROVÁVEIS:

  • Cabo da embreagem danificado, dobrado ou sujo (figura 1);
  • Passagem incorreta do cabo da embreagem;
  • Mecanismo de acionamento da embreagem danificado;
  • Rolamento da placa de acionamento da embreagem defeituoso (figura 2);
  • Embreagem patina: o sintoma é detectado quando o condutor percebe que ao acelerar a motocicleta o motor sobe de giro, mas a potência não é transmitida à roda traseira.

CAUSAS PROVÁVEIS:

  • Alavanca da embreagem sem folga;
  • Mecanismo de acionamento da embreagem engripado;
  • Discos da embreagem desgastados (figura 3). Verificar a espessura dos discos;
  • Molas da embreagem fracas (figura 4). Verificar o comprimento livre das molas;
  • Desgastes excessivos no cubo e platô (figura 5);
  • Ausência de folga na alavanca da embreagem;
  • Uso de aditivo no óleo do motor.
  • A embreagem não desacopla ou a motocicleta trepida com a embreagem desacoplada: geralmente ocorre somente no primeiro engate do dia, após ligar a moto. Ao engatar a marcha o câmbio dá um tranco.

CAUSAS PROVÁVEIS:

  • Folga excessiva da alavanca da embreagem;
  • Separador empenado (figura 6). Verificar o empenamento dos separadores;
  • Nível muito alto de óleo, viscosidade incorreta ou uso de aditivo no óleo do motor.
  • Dificuldade na mudança de marchas: ocorre nas trocas de marchas ou ponto morto (neutro) com a motocicleta parada com o motor ligado.  

CAUSAS PROVÁVEIS:

  • Cabo da embreagem desajustado;
  • Desgaste excessivo em alguns pontos da campana e cubo da embreagem (figura 7-8);
  • Viscosidade incorreta do óleo do motor;
  • Placa da embreagem empenada (figura 9).

ATENÇÃO

Campana da embreagem: Inspecione, analise e decida se é viável remover as ranhuras (dentes) das laterais da campana ou substituir a peça.

  • Ruídos: é comum ouvir algum barulho proveniente da embreagem, porém a somatória das folgas excessivas do conjunto irá ampliar a emissão de ruídos, os mesmos se alternam com a embreagem acionada.

CAUSAS PROVÁVEIS:

  • Defeitos na campana da embreagem;
  • Molas do amortizador da campana da embreagem com folga excessiva (figura 10);
  • Defeitos de engates nos dentes e alinhamento da engrenagem da campana da embreagem e engrenagem do eixo primário (figura 11).


CUIDADOS NO MOMENTO DA MONTAGEM

Falhas de montagem podem ser o grande problema de desgaste acelerado da embreagem. O conjunto requer ajustes, sincronismos, balanceamentos, sequência de montagem e aperto específico nos parafusos. Falhas no processo podem causar vibração, ruídos e acelerar o desgaste

Cada motocicleta apresenta um detalhe de montagem e sincronismo do conjunto. Por isso recomendamos seguir as especificações do manual de serviços de cada fabricante. Outro ponto bem importante na montagem é a lubrificação dos discos e separadores com lubrificante recomendado pelo fabricante.

Informe ao seu cliente quanto aos cuidados com a embreagem da motocicleta. Sabemos que o conjunto é sensível, porém sua vida pode ser longa dependendo das manutenções recebidas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *